quarta-feira, março 10

perdida por perdida

Não sei se consigo imaginar alguém mais perdido do que euzinha. Tenho um péssimo senso de direção, por conta disso já paguei kingkongs homéricos e lendários.
Vou contar uma história da qual meu orgulho passa longe, mas já foram tantas as piadas a respeito, que só me restou a resignação do fato...
Tudo começou no trabalho, onde todo mundo, inclusive eu, evitam me pedir serviços externos (tipo entrega, visita ao cliente desacompanhada, entrega de documentos, etc...), quero deixar claro e em minha defesa que isso não inclue minha cidade ou cidades vizinhas em endereços acessíveis, onde circulo numa boa. Por sorte o meu problema se resume em senso de direção e não falta de direção ao volante...

Este dia não teve jeito, apesar de meus olhares de não-sei-do-que-estão-falando... peguei o automóvel e saí confiante rumo ao meu destino. Abro um parênteses aqui para lhes contar que trabalho com marido, então veja o tamanho do meu sofrimento...
Peguei a rodovia, atravessei a cidade vizinha. O tal endereço era na Vila Industrial, que atravessa a Anhanguera, aquela que vai para São Paulo num sentido e do outro volta para a minha cidade. Um rápido resumo mental...entra na rodovia, faz um pequeno retorno e cai a direita na entrada para a tal Vila. Não sei que lhufas aconteceu, nem em que abobrinha estava pensando, mas não vi o retorno e segui em frente procurando outro, e é claro, não havia mais nenhum.

Apenas o pedágio da entrada da cidade. Aí começa o meu dilema... eu pega de surpresa, sem esperar surpresas como estas, estava sem um p... na carteira, nem que juntasse todas as moedinhas não iria dar para passar no pedágio... imagina a minha cara quando comecei a relatar moça-do-pedágio e pedir pelamordedeus para me deixar passar! Aquela cara de oniguiri (bolinho de arroz japonês, empapadinho, sem sal e sem tempero, cozido só em água)!!
A moça esforçando-se para não cair na gargalhada, pensando ser esta mais uma história das várias que já deve ter presenciado, e acho que sentindo uma leve pena da criatura em estado deplorável, deixou-me passar, só me fez assinar um vale, com a placa do meu carro e me deu um prazo para voltar e pagar... (claro que eu voltei,né gente! Imagina outro mico?)

Atravessei as duas cidades de cabo a rabo, morrendo de medo de perder a tal entrada. E eis que Murphi entra em ação (tem que ter um culpado!), e desta vez sigo rumo à São Paulo, perdi todas as entradas, combustível acabando e eu sem um tostão... sooooorteee tinha o cartão mágico! Parei num posto, pus gasosa, rezei um terço enquanto perguntava qual era o retorno mais próximo. Fiz o tal retorno cheguei na tal empresa e voltei no final do expediente, quase beijando o chão ao pisar, agradecendo por não acontecer mais nada, a não ser marido preocupadíssimo na porta, dizendo que já estava prestes a chamar a polícia... não teve jeito, sermão e risada após o relato foi o mínimo...

Depois disso marido não deixa eu ir a São Paulo dirigindo nem a pau, só de ônibus...minha salvação é um GPS, quem sabe melhoro com ele...tem que ser daqueles implantados, diz ele...Ha-Ha-HA!
Depois disso, recuperando um pouquinho do orgulho que me resta, saio com esta...Eu me perco, mas eu me acho, tá!!

???????????

18 comentários:

  1. Cris de Deus!! Imagino sua agonia amiga!! rss, olha, eu sou bem tonta tb, aqui em Goiânia, o povo tem mania de dar direções citando o Bar do fulano, a loja do sicrano, ninguém fala nome de rua!! E na verdade, as ruas aqui tb não fazem o menor sentido!! Andei com mapa no banco do carro por quase 01 ano aqui rsss, até hoje me perco!! Mas como vc disse, a gente se perde, mas depois acha!!kkkk, beijocas!!

    ResponderExcluir
  2. Cris do ceu que sufoco nossa ,cara de oniguiri otimo hein ,quer dizer tadinha rsrsrs ,aqui eu sou o navi do Re as vezes nas nossas andancas fotograficas ,ele nao sei porque das quantas insiste em seguir o carro da frente dizendo "esse carro vai pra la tb" ,eu fico assim ahn?? como ele que ele pode afirmar com tanta conviccao ?resultado?perdidos e meio ne!ele quando para no seven ,na hora de sair volta em vez de ir frente eu fico quase doida ne ,nao Re vc tem ir pra la nao e por aqui nao olha a gente veio daqui ,ate eu conve lo de fucinho de porco nao e tomada ja andamos uns cinco kilometros ,olha e verdade ne ja passamos por aqui ,la vai ele dar meia volta Oh ceus ,quando instalarem um gps em vc me fala pra eu botar nele tb rsrsrs.ainda bem que vc chegou a salvo ne dona Cris ,imagina vc e o re onde iriam parar???
    bjim

    ResponderExcluir
  3. Cris, vc não pdoe ser mais perdida do que eu rs? E pra ajudar sou medrosa rs...Eu morei 5 anos em campinas e como não tinha carro, não entendia nada da cidade, praticamente só ficava em barão geraldo mesmo. Aqui em sjc demorei uns 2 anos pra me aventurar pela cidade e ainda hoje tem lugares que vem me arrisco. Ir a São paulo sozinha de carro está a anos luz de distãncia de mim rs...
    beijocas

    ResponderExcluir
  4. Oi C r i s,
    Como está querida amiga???
    UHU, mais um ponto em comum, estou certa que somos almas gêmeas! Sou tão perdida e distraída quanto você, graçás à Deus, porque só nós conhecemos a alegria do "achar" e de até "se achar"...
    Meus amigos dizem que sou tão lerda, distraída e calma, que pra morrer de susto, eu preciso de tês dias!!Ãh, como assim??
    A verdade é que sou mesmo, mas sempre com bom humor como você. Agradeço todos os dias e à todos os Santos, por ter me casado com uma Bússula (agora GPS) ambulante e os meninos, claro vão pelo mesmo caminho que o pai, coisas de meninos sabe?? Deixa pra lá, tenho mais com que me preocupar! Querida, adorei o post, fica triste não, você não está tão tão sózinha e perdida assim...
    Beijos,
    Cris João.

    ResponderExcluir
  5. KKKKKK Cris, eu sou mais ou menos assim, não tenho senso de direção, só vou a lugares que já passei algumas vezes. Sexta feira tenho uma entrevista para estágio num bairro daqui que nunca fui e estou com medo de não encontrar nada mesmo com mapa na mão e haja gasolina! Espero que marido possa ir comigo ou sou bem capaz de me perder rsrs. Salve-nos! rsrs
    Ah! Agora se tratando de SP seria mil vezes pior, nem pegaria carro pra ir a cinco quarteirões.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ro, é o Ó do forrobodó, esse negócio de e perto disso ou daquilo, no caminho já me perdi umas três vezes até entender a que o sicrano tá se referindo...HAhahah!

    Robertinha tá vendo só, imagina eu e o Re e você num carro, a gente ia te deixar maluquinha! Heheheh!Para o seu desespero ia demorar o dobro prá gente chegar em algum lugar, não? Fora a discussão, eu ia quere prá direita, o Re prá esquerda... e você: Gente! Para tudo é reto!! Só rindo mesmo!!

    Oi Cy, queria tanto ser daquelas descoladas que pegam o carro e viajam prá lá e prá cá na boa, eu mesmo adoro uma viagem de carro, quem sabe? Aí a gente combina...será que daria certo nós duas numa viagem de carro? Heheheh!

    Ô Cris, somos imcompreendidas né? Imagina, que graça teria a gente não se perder nem um pouco, e prestar atenção em tudo que é caminho, em vez de dar uma viajada pélas idéias no balanço do carro...eu bem que tento explicar...Hheheheh! Bjo querida e obrigada pela solidariedade!!

    ResponderExcluir
  7. Cris!! Saudadonas de ti!!! Estou muito feliz por estar de volta aqui no teu cantinho!!
    Bjus, Lu

    ResponderExcluir
  8. Menina, pelo jeito todas as meninas são iguais. Eu sou do tipo que se falar vai pra direito, pode ter e absoluta certeza... que tem que entrar à esquerda, e se dizer é logo ali, se prepara que vai andar pra cachorro. Sou totalmente sem noção, quando saio à trabalho com o marido me meto em cada uma, e ele fica me olhando com aquela cara: Meu Deus casei com uma sem noção. Minha irmã já falou pra ele: Vc não tinha ng melhor pra escolher não?
    Mas eu vou, toda sem noção, e ainda abro o vidro do carro e pergunto pra todo mundo, aonde é tal lugar, o marido quase enfarta, porque ele acha que sabe aonde é tudo que é lugar, quando a gente tá perdido e entro em cada buraco de meu deus que vc nem sabe. Louca assumida, de carteirinha e sindicato!

    ResponderExcluir
  9. Ai Carol o duro é andar com meu marido para aprender caminho, cada vez ele pega um atalho diferente por causa do trânsito coisa e tal, a minha cachola que já é meio desbaratinada, perde totalmente o senso, samba geral! Hhahhah, o jeito é rir mesmo!! Já vou começar a rezar por você queridoca, para não se perder e para dar certo o estágio...bjinho!!

    Oi Lu, sua danada, que bom que apareceu, tava com saudade de você!! Bjinho...

    Ah, Ma, devo fazer parte deste sindicato aí...hahahah! O duro deve ser a nossa cara de...o queê? Como assim?...Heheheh! Imagina, como eles devem ficar louquinhos???!!! Bjo!

    ResponderExcluir
  10. Nossa Cris, que desespero deve dar nessas horas, até imagino o seus desespero, porque também já tive momentos como esse, no meu caso, quando morei em BH - MG, já peguei rua errada também e fiquei bem perdida e tive que sair perguntando como voltar, mas seu caso foi pior você ainda teve o problema do pedágio e gasolina que o cartão salvou, hehehheee... depois esses casos são motivos de piada nas rodas familiares.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  11. Tem sorteio lá no blog!
    Confira...

    Bjuuus

    ResponderExcluir
  12. QUERIDA CRIS...IMAGINA EU COM TRÊS CRIANÇA DENTRO DO CARRO,ME PERCO ATÉ NO MEU BAIRRO.SORTE A SUA ALIÁS A NOSSA DE EXISTIR O MALDITO CARTÃO.BEIJOCAS
    *PASSA NO MEU BLOGUITO TEM SELINHO PARA VC

    ResponderExcluir
  13. Oi Vivi, dá um certo desespero, mas como já entrei nestas várias vezes, já desenvolvi uma certa técnica... respiro fundo, conta até...sei lá, me acalmar e pergunto em lugares confiáveis...HAhaha, vou fazer um manual...Bjo!

    Olá Mirelli, passso lá depois!!

    Oi Leila, já me perdi uma vez com a minha filha, mas aí eu tenho uma desculpa, o mapa da festinha era péssimo e não, não estava de ponta cabeça...Heheheh! Oba! Selinho!! Bjo!

    ResponderExcluir
  14. Ai, Cris, não sei se choro ou gargalho, rsrs. Mass, quer saber? essas rodovias 'intermináveis' que só têm retornos de eternidade a eternidade (quando têm!) facilitam muito a ocorrência desse tipo de coisa.

    Beijão

    ResponderExcluir
  15. hahahha, já aconteceu comigo também. Logo que me mudei para Brasília, mas aqui é muito fácil dirigir, é tudo igual, mas não tem nome de rua e sim números, aí é só seguir a numeração e pronto!
    Bjo amiga *Ü*

    ResponderExcluir
  16. Pois é Marly, é de rir prá não chorar! AFE! Bjinho!

    Oi Ruby, cidade planejada é outra coisa, né? Também já morei em cidade planejadinha e minha mãe mora em Maringá, que também é bem tranquilo... Bjinho!!

    ResponderExcluir
  17. hahaha tadinha amiga, fala para o marido que um dia vc aprende.
    bjsss

    ResponderExcluir
  18. Ufa....ainda bem que não sou a única...

    ResponderExcluir

sou toda ouvidos!!!

Related Posts with Thumbnails